terça-feira, 30 de março de 2021

Os países mais felizes do mundo em 2021

“Mais uma vez, os países nórdicos dominam as primeiras posições do Relatório Mundial da Felicidade” 


A Finlândia foi considerada como o "país mais feliz do mundo" pelo quarto ano consecutivo, numa lista que determina o grau de felicidade e que é dominada por países europeus.

Com uma pontuação de 7,84 em que 10 é o valor máximo, o país nórdico está à frente da Dinamarca, Suíça, Islândia e Países Baixos, estreante entre os cinco primeiros colocados da última edição do "World Happiness Report", um estudo anual patrocinado pelas Nações Unidas.

O estudo, publicado desde 2012, usa principalmente pesquisas da empresa Gallup em que os residentes são questionados sobre o seu próprio nível de felicidade e as respostas são cruzadas com o Produto Interno Bruto (PIB) além de avaliações sobre o nível de solidariedade, liberdade individual e corrupção, para se chegar à pontuação máxima de 10.

Entre as grandes potências, o Brasil está em 35.º lugar, Japão em 56.º e Rússia em 76.º  de acordo com a lista oficial nos quais foram recolhidos dados dos últimos três anos.

A Europa domina amplamente os 10 primeiros lugares, que incluem ainda a Noruega, Suécia, Luxemburgo e Áustria. O único país não europeu entre os primeiros 10 é a Nova Zelândia em 9.º lugar. O  Uruguai ficou em 31º lugar no ranking do grau de felicidade.

Embora a medição da "felicidade" é reconhecidamente subjetiva além do debate à volta do método de cálculo do relatório, este estudo consolidou-se nos últimos anos como uma das avaliações do bem-estar global.

A lista também permite designar o "país menos feliz do planeta", que nesta edição é o Afeganistão, com 2,52 pontos, atrás do Zimbábue, Ruanda, Botswana e Lesoto.

A Índia é um dos grandes países com uma classificação baixa, ocupando o nada invejável 139.º lugar.

Na África, o país mais bem colocado é a República do Congo, que ficou na 83.ª posição, enquanto na Ásia é Taiwan, no 24.º lugar.

Este ano, o estudo foi expandido para incluir alguns dados para medir melhor o impacto da pandemia de covid-19.

O país mais feliz do mundo em 2021

A Finlândia, novamente na liderança este ano, é também um dos países desenvolvidos com o melhor desempenho contra a covid-19 e o país destacou-se notavelmente "em medidas de confiança mútua que ajudaram a proteger vidas durante a pandemia", de acordo com o estudo.

Apesar de seus longos invernos e da fama dos seus habitantes, considerados pouco expansivos, se não mesmo solitários, a Finlândia - com 5,5 milhões de habitantes - goza de um padrão de vida muito elevado, serviços públicos eficientes e uma vasta variedade de florestas e lagos.

O país também está muito bem posicionado em termos de solidariedade e na luta contra a pobreza e as desigualdades.

Os países nórdicos destacam-se nesta lista há uma década: antes da Finlândia, a Noruega venceu em 2017 e a Dinamarca durante muito tempo ocupou o primeiro lugar.

Veja aqui o ranking completo da felicidade.

1. Finlândia

2. Islândia

3. Dinamarca

4. Suíça

5. Países Baixos

6. Suécia

7. Alemanha


8. Noruega
9. Nova Zelândia
10. Áustria   


31. Uruguai


Fotos: © Shutterstock ; © iStock

Fonte: www.noticiasaominuto.com

quarta-feira, 24 de março de 2021

Ministério do Turismo seleciona profissional para atuar no desenvolvimento do turismo gastronômico

"Em parceria com a UNESCO, a Pasta irá selecionar um consultor de turismo, gastronomia ou áreas afins para propor ações no segmento"

O Ministério do Turismo, em parceria com a UNESCO, vai selecionar um profissional de turismo, gastronomia ou áreas afins para a formulação de ações e estratégias voltadas ao desenvolvimento do turismo gastronômico no país. O edital foi divulgado na ultima sexta-feira (19.03), no Diário Oficial da União (DOU), e as inscrições ficarão abertas até o próximo dia 28 de março. A parceria com a Pasta terá a duração de 11 meses, e o selecionado irá criar seis produtos que poderão ser executados pelo MTur.

Os interessados deverão encaminhar currículo ao Ministério do Turismo, por meio do endereço eletrônico docprodoc.cgtr@turismo.gov.br, indicando o número do edital e o nome do perfil ao qual se candidatam (Edital n° 1/2021 - Projeto 914BRZ4024). Não poderão participar servidores ativos da Administração Pública Federal, Estadual, do Distrito Federal ou Municipal, direta e indireta, e nem empregados de suas subsidiárias ou controladas, no âmbito dos projetos de cooperação técnica internacional.

Entre os produtos que serão apresentados estão o mapeamento dos principais eventos gastronômicos nacionais, roteiros gastronômicos e produtos turísticos brasileiros ligados à gastronomia; a sistematização das políticas, programas e projetos desenvolvidos, em âmbito nacional e estadual, relacionados ao fortalecimento do turismo gastronômico; e o levantamento e a sistematização de informações relacionadas à gastronomia que contribuam para a construção de indicadores do setor e o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030.

fotos: divulgação 

fonte: MTur

segunda-feira, 22 de março de 2021

Cruzeiro passará por sete rios em 14 países da Europa

O cruzeiro parte em 1º de junho 2022 em Paris”

Rio Mosel
Em 2023, um dos maiores cruzeiros fluviais de que já se teve notícia percorrerá sete rios europeus, passando por 14 países em 46 dias. A bordo, serão apenas 144 passageiros que terão todo o conforto dos navios mais intimistas, aulas de ioga e ginástica, além de wi-fi, refeições, bebidas e 130 excursões inclusas no preço – 26 mil euros por pessoa (mais de R$ 173 mil). Para o meu bolso, só ganhando a loteria esportiva para fazer. Mas a viagem é um sonho para os que podem pagar.
O cruzeiro Seven River é operado pela empresa AmaWaterways e parte de Paris  em 1º de junho do próximo ano. Ao longo do caminho, serão utilizados quatro navios de luxo, que navegarão pelas águas dos rios Sena, Reno, Mosela, Meno, Saône, Rhône e Danúbio. Entre os países visitados estão França, Holanda, Bélgica, Alemanha, Áustria, Bulgária e Romênia.

No preço do cruzeiro estão inclusos serviço de lavanderia, seleção de vinhos para acompanhar as refeições, atividades a bordo e bicicletas que serão emprestadas de forma gratuita aos passageiros para que possam explorar todos os destinos visitados. Veja mais informações no site da armadora.

A viagem começa em Paris, com uma navegação de sete noites pelo Rio Sena, passando por Les Andelys, Le Havre, Rouen e retornando a Paris. Depois, os passageiros seguem de trem até Lyon, onde embarcarão em um novo navio que fará o percurso nos rios Rhône e Saône.

Em Basel, na Suíça, os viajantes ingressam em outra embarcação para dar continuidade ao roteiro até Amsterdã , com desvios pelo rio Mosela até Luxemburgo e no Meno até Nuremberg (Alemanha). No rio Danúbio, os passageiros embarcam no último navio que vai partir da Alemanha em direção à Romênia, passando por Viena e Budapeste, entre outras cidades.

fotos: divulgação


sexta-feira, 19 de março de 2021

Passaporte de vacinação e o futuro das viagens internacionais

“A União Europeia já apresentou o  Certificado Verde Digital para salvar o verão”

Não bastasse amargar prejuízos estimados em US$3 trilhões, o setor de viagens de lazer vem tendo que lidar com um arsenal de protocolos sanitários . Na esteira, empresas já trabalham no desenvolvimento do que vem sendo chamado informalmente de “passaporte de vacinação”, documento para armazenar dados do viajante como imunização e testes contra a Covid-19.  Para especialistas afirmam este é um passo fundamental para voltarmos a viajar com segurança. 

Estar imunizado significa estar menos propenso a sofrer complicações da doença em caso de contágio e, a principal delas, é não precisar de hospitalização. “Se a pessoa for vacinada é improvável que desenvolva um quadro grave, tenha ela trazido o vírus do país de origem ou sido contaminada na primeira semana de férias”, disse ao The Guardian o médico Paul Hunter, professor na University of East Anglia, na Inglaterra.

Um documento que comprove a vacinação pode eliminar a necessidade de quarentena na chegada, hoje o maior entrave para a retomada do turismo internacional, disse ao The New York Times, Zurab Pololikashvili, secretário-geral da Organização Mundial de Turismo das Nações Unidas. Quando o assunto é imunização pode haver posições ainda mais radicais: a companhia aérea Qantas anunciou que não aceitará em seus voos para a Austrália  passageiros que não tenham sido vacinados.

 O passaporte de vacinação

Imagine que um avião lotado aterrissou em um país que exija uma documentação específica referente à Covid-19. Cada passageiro carrega consigo um tipo de comprovante diferente. Um grupo possui uma carteira de vacinação, um outro tem em mãos um aplicativo e um terceiro traz apenas um certificado em papel emitido pelo órgão de saúde do país de origem. Como seguir um padrão de admissão sem grandes demoras?

O vice-presidente da Associação Internacional de Transportes Aéreos (IATA), Nick Careen, disse ao NYT que a ideia da criação de um passe eletrônico é uma “tentativa de digitalizar o que já acontece”. A maioria dos países já está exigindo a apresentação do teste negativo de Covid 19 para os viajantes, inclusive o Brasil. Brasileiros que visitam o Peru, a Colômbia, a África do Sul e a Tailândia tem que viajar com um Certificado Internacional da Vacina Contra a Febre Amarela. Um documento unificado inibiria fraudes e fecharia o cerco às empresas que vêm lucrando com a venda de exames de Covid-19 falsos

Países como  Dinamarca e Suécia começaram a desenvolver certificados digitais em que constam dados de imunização do cidadão e que servirão tanto para viagens quanto para admissão em eventos esportivos. Isso significa que daqui para frente estar vacinado também poderá ser um requisito para frequentar espaços públicos, como shows, festivais, feiras e campeonatos. 

 Aplicativos que estão em fase avançada de testes

A IATA Travel Pass representa cerca de 290 empresas aéreas que abrangem 82% do tráfego global, o que significa que a entidade tem grande influência na criação de novos protocolos. O IATA Travel Pass é um aplicativo de celular que armazena dados de imunização do viajante. Um teste piloto foi realizado pela Singapore Airlines em dezembro de 2020 em voos entre Singapura, Malásia e Indonésia. Passageiros que fizeram testes de Covid em clínicas selecionadas receberam certificados digitais ou em papel que puderam ser lidos por QR-code na hora do check-in. Um número cada vez maior de aéreas vem demonstrando intenção de usar o aplicativo, como a Emirates, a Etihad e a Qatar.

Desenvolvido por uma multinacional de tecnologia especializada em serviços para a indústria da aviação, o Health Protect é um aplicativo que também permite que companhias aéreas e passageiros compartilhem informações sobre exames de saúde ou vacinas. A ferramenta emite alerta ao passageiro sobre os requisitos que devem ser cumpridos no aeroporto para o qual o viajante se destina. 

Desenvolvido pela IBM, O aplicativo Digital Health Pass aplicativo desenvolvido pela IBM funciona como uma carteira digital. Com ela, o viajante pode guardar informações pessoais de saúde e compartilhá-las, segundo a empresa, de forma segura e verificável. Deve servir tanto para viagens internacionais quanto para eventos de entretenimento.

Entraves para a criação de um passaporte de vacinação

O desafio é criar um documento ou aplicativo que seja aceito no mundo inteiro, que proteja a privacidade do viajante e seja acessível a todos.

Para quem não tem smartphone, há a preocupação em padronizar os comprovantes em papel. “Há como fazer isso de um jeito correto ou terrivelmente errado e as maneiras erradas podem nos levar a uma distopia tecnológica”, disse Jenny Wanger, diretora da Linux Foundation Public Health, uma fundação com foco em tecnologia que desenvolve aplicativos de credenciamento de vacinação que sejam acessíveis e equitativos.

Para a pesquisadora, esta documentação deve ser feita de forma transparente e que não fique no controle de qualquer governo ou empresa. “A tecnologia deve ser de código aberto e acessível aos tecnólogos, não importa quem ou onde estejam estas pessoas”, afirmou.

O que pode ser prematuro para se estabelecer um passaporte de vacinação no curto prazo é o desconhecimento da ciência se os imunizantes atuais oferecem proteção adequada para as novas variantes.

União Europeia criou o “passaporte de vacinação” para salvar o verão


A União Europeia apresentou na última quarta-feira (17) o projeto que propõe a forma, organização e especificidades do que está sendo chamado de passaporte de vacinação,   documento que deve facilitar a reabertura do bloco para o turismo. O documento recebeu o nome provisório de “Certificado Verde Digital”, mas não será necessariamente verde e nem somente digital. Haverá também uma versão em papel que contará com um código de barras que trará informações referentes à imunização do viajante. O documento poderá conter comprovante de vacinação, resultado de teste contra a Covid ou um atestado de recuperação da doença. 

O certificado será gratuito, aceito em todos os 27 países-membros da União Europeia e bilíngue, sendo a primeira língua a oficial do país em que o documento foi emitido e a segunda o inglês. No que diz respeito à vacina, o documento deverá trazer o nome do imunizante, o número de doses aplicadas, a data e o local da vacinação. Os cidadãos que receberam doses da BioNTech/Pfizer, Moderna, AstraZeneca e Janssen terão total liberdade de circulação. Já quem recebeu doses de farmacêuticas ainda não reconhecidas pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA), como a Hungria e a Eslováquia, que aplicaram vacinas Sputnik e Sinopharm, caberão ao país membro definir se aceita ou não a vacina aplicada.

O projeto da Comissão Europeia não pretende impor que os cidadãos se vacinem, pelo contrário, no texto há a garantia de que as pessoas que não puderem ou não quiserem ser vacinadas poderão desfrutar da mesma liberdade de circulação dos vacinados, mas com ressalvas. No entanto, as pessoas não imunizadas estarão sujeitas a apresentar testes obrigatórios contra Covid-19 ou cumprir quarentena. 

A União Europeia pretende distribuir até o final de junho 400 milhões de doses de vacinas, o que deve imunizar 200 milhões de pessoas ou o equivalente a 54% da população adulta. O projeto apresentado ainda passará por trâmites legislativos no Conselho e no Parlamento Europeu, em Bruxelas. A expectativa é que o “Certificado Digital Verde” seja aprovado até junho. A criação do documento, que trará mais segurança para os europeus viajarem, pode chegar a tempo de salvar a temporada turística de países que dependem muito do fluxo do verão, como é o caso da Grécia, Croácia e Espanha.

fotos divulgação

segunda-feira, 15 de março de 2021

MTur oferece cursos on-line e gratuitos

“São 21 capacitações disponíveis a profissionais de Turismo de todo o país”


Enoturismo, Libras, Inglês, Espanhol, Agências de viagens e Turismo e Desenvolvimento Regional. Estes são alguns dos cursos on-line com inscrições abertas promovidos gratuitamente pelo Ministério do Turismo. Ao todo, 21 capacitações estão disponíveis a profissionais de Turismo de todo o Brasil.
Um acordo de cooperação celebrado entre o MTur e o Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) oferece cursos gratuitos e on-line a profissionais de Turismo ou de outras áreas que desejam se capacitar nos universos temáticos abordados.
Entre as qualificações com inscrições abertas estão: Geografia e Turismo; Libras: compreensão básica; Indicação Geográfica: Agregando Valor a Produtos e Regiões; Geografia e Geopolítica na Atualidade; Biologia; Enoturismo e Desenvolvimento Regional; Agências de Viagem e Turismo; Geografia 1 e 2; e Higiene e Controle de Qualidade de Alimentos, voltado a trabalhadores do segmento de alimentação, como bares e restaurantes.

A mesma parceria também disponibiliza seis turmas de inglês, duas turmas de espanhol e duas turmas de português como língua adicional, direcionadas a profissionais de Turismo refugiados e imigrantes, além de brasileiros que queiram aprimorar o conhecimento na língua. As inscrições podem ser realizadas até o dia 30 de junho de 2021 no site do IFRS.


Fortalecimento  do Turismo acessível no Brasil  

A Língua Brasileira de Sinais (Libras) é tema de outro curso disponibilizado pelo MTur, por meio de acordo firmado com o Instituto de Educação de Rondônia (IERO/Acelibras). A capacitação soma-se aos esforços da Pasta em fortalecer o Turismo acessível no Brasil e melhorar a experiência de viajantes que possuem capacidade auditiva reduzida. Intitulado “Libras para atendimento ao público", o curso online e gratuito é direcionado a profissionais de Turismo ou de outras áreas, além de estudantes que atuam ou desejam atuar no setor, com foco no atendimento ao turista. As inscrições ficam abertas até o dia 15 de março – inscreva-se AQUI.

O curso tem carga horária de 120 horas e possui três módulos: contexto histórico-cultural e aspectos linguísticos 1 e 2. O conteúdo é voltado para alunos iniciantes, que aprenderão desde o alfabeto de Libras até à formação de frases e estarão aptos a se comunicarem ao final do curso. Também estão incluídos temas do dia a dia, como profissões, gastronomia, esporte, transporte, natureza, entre outros.

fotos: divulgação

terça-feira, 9 de março de 2021

Escola na Alemanha oferece bolsas de até 11.500 euros com visto de trabalho

“Com três opções de cursos, programas oferecem visto de trabalho a estudantes e cônjuges, além de universidade gratuita no país”

Morar fora do país é um sonho distante para muitos brasileiros. Mas, isso não precisa mais ser assim. A GISMA Business School, escola alemã que faz parte do Global University Systems (GUS), está com três cursos imperdíveis: Pathway, Bacharelado e Masters, em cidades como Berlim, a capital do país.

O programa Pathway visa a aprendizagem da língua alemã durante um período de 44 a 48 semanas. Ao final do curso, o estudante pode se inscrever para diversos cursos em uma universidade alemã com acesso 100% gratuito e a possibilidade de conquistar uma vaga de emprego no país. “Esse é o curso ideal para quem deseja estudar alemão e mergulhar profundamente na cultura do país”, afirma Jéssica Carvalho, Gerente de Produtos da SEDA Intercâmbios, agência responsável por esses programas no Brasil.   

A escola também oferece cursos ministrados em inglês, como é o caso do Bacharelado, com três anos de duração e opções nas áreas de Business e Data Science. Um programa perfeito para quem está buscando a primeira graduação. Quem busca por uma especialização mais rápida pode optar pelo programa Masters, que tem um ano de duração e é ministrado em inglês. Existem opções de cursos nas áreas de Business, Data Science e Leadership, além de um Global MBA. 

Os três programas oferecem permissão de trabalho. Ao se graduar no curso, o estudante terá direito a mais 18 meses de visto de trabalho pós-estudo, o chamado Post Study Work Visa. Após esse período, é possível até solicitar o visto definitivo de permanência. Outra grande vantagem é o visto de trabalho também para o cônjuge do estudante. “Os vistos são emitidos já na Alemanha, sem nenhuma burocracia”, acrescenta a Gerente de Produtos. 

Todos os programas estão com bolsas de estudos que variam de 20 a 50%, podendo chegar a até EUR 11.500. O aluno deverá pagar uma matrícula de EUR 1.000 e parcelar o restante em até seis vezes ao iniciar o curso, direto na escola, quando já estiver estudando e trabalhando na Alemanha. Mais informações em http://bit.ly/gisma-alemanha.

Serviço:

GISMA Business School

Cursos de Pathway, Bacharelado e Masters na Alemanha

Bolsas de 20 a 50%

Mais informações em http://bit.ly/gisma-alemanha

fotos: divulgação

quinta-feira, 4 de março de 2021

Câmara aprova PL que estende dispensa do reembolso e concede benefícios ao Turismo


A Câmara dos Deputados aprovou última quarta-feira (3) o Projeto de Lei 5638/20, que, entre outras medidas, prevê a prorrogação, até dezembro de 2021, dos efeitos da Lei 14.046/2020, que dispensa a obrigatoriedade de reembolso de serviços turísticos e eventos cancelados, e da 14.020, que institui o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda. A matéria agora segue para análise no Senado.

O texto original é de autoria do deputado Felipe Carreras (PSB-PE) e de outros sete deputados, mas a versão aprovada no plenário é um substitutivo da relatora, deputada Renata Abreu (Podemos-SP). Além de estender os efeitos das duas leis, o projeto cria o Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (Perse), com deduções fiscais e renegociação de dívidas com o governo federal, além de prever a prorrogação do Programa Emergencial de Acesso a Crédito, que coloca a União como fiadora de empréstimos em bancos públicos e privados.

deputada Renata Abreu

Para custear os benefícios concedidos, o projeto destina, além dos recursos orçamentários e do Tesouro Nacional, 3% do dinheiro arrecadado com as loterias administradas pela Caixa Econômica Federal e com a Lotex. Isso inclui a loteria federal, os concursos de números e as loterias esportivas. Os recursos sairiam da cota atualmente destinada ao prêmio bruto, mas a redução vale apenas em 2021.

A proposta inicial era dedicada somente ao setor de eventos. Mas, a relatora atendeu a pedidos do setor de turismo e incluiu no substitutivo todas atividades classificadas como serviços turísticos na Lei Geral do Turismo (11.771/2008), entre elas meios de hospedagem, agências de turismo, transportadoras turísticas, acampamentos turísticos e parques temáticos.

Discordâncias com o Governo

Fontes ligadas ao Congresso e ao setor de Turismo informaram que o governo é contrário a diversas partes do texto, principalmente nos ministérios do Turismo, Economia e Justiça, o que deve acarretar dificuldades da tramitação do texto no Senado, ou, em caso de aprovação, em vetos a grande parte do projeto pelo presidente Jair Bolsonaro.

Entre os parlamentares envolvidos no projeto, o discurso é de que o governou evitou discutir os temas mais sensíveis, como a redução tributária. Fontes da Câmara informaram que o governo não é contrário a proposta de renegociação das dívidas, mas a queria em outros moldes. Já em relação à extensão do programa de Proteção ao Emprego, a intenção do Ministério da Economia era fazer isso de uma forma geral, e não somente para uma categoria.  

Apesar da discordância com o governo, a maioria dos partidos era favorável à proposta, o que levou o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) a pautar a matéria. O Partido Novo foi o único contrário.

Nos bastidores do Turismo, o entendimento é de que o governo era contrário a todo o projeto, principalmente pelo impacto orçamentário resultante de parte das propostas, que podem se chocar com a Lei de Responsabilidade Fiscal. O temor do setor é que, caso a proposta seja aprovada no Senado, o presidente a vete na íntegra, o que implicaria também na questão do reembolso.

Por conta deste receio, o turismo segue o trabalho junto ao governo para a publicação de uma Medida Provisória que trate exclusivamente da questão do reembolso.   Além de garantir um efeito imediato, por se tratar de uma MP, a nova proposta abordará questões que não foram tratadas no projeto aprovado pela Câmara, como o efeito retroativo da prorrogação para reservas efetuadas desde 1º de janeiro. A expectativa é de que esta proposta seja publicada ainda no primeiro semestre.

Reembolso

Texto da MP 948, a Lei 14.046 foi sancionada em agosto de 2020 e estabeleceu que, na hipótese de adiamento ou de cancelamento de serviços turísticos ou de eventos, o prestador de serviços não seria obrigado a reembolsar o cliente desde que realizasse, sem custos, a remarcação do serviço ou disponibilizasse o crédito equivalente ao valor pago para a compra de outro produto. Caso a empresa não atenda a nenhuma das condições tem até 12 meses para efetuar o reembolso.

A Lei, no entanto, estabelece que a regra que desobriga o reembolso seria válida somente até o fim do estado de calamidade (31/12/2020). O comprador, por sua vez, poderia usar os créditos ou a remarcação somente no período de 12 meses após o fim do estado de calamidade (até 31/12/2021). O projeto prevê que a prorrogação da dispensa do reembolso valeria até o fim de 2021.

Programa de Proteção ao Emprego

O Projeto de Lei prevê a prorrogação do Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda até 31 de dezembro de 2021. A medida, criada pela Lei 14.020, garante o pagamento, pelo governo federal, de uma parte do seguro-desemprego ao trabalhador que teve o contrato de trabalho suspenso ou reduzido (salário e carga horária). O programa acabou em 2020, com o fim do estado de calamidade.

O valor do benefício a ser pago pelo governo também aumenta caso a redução de jornada seja negociada por meio de convenção ou negociação coletiva. Durante a vigência do programa, os pagamentos estiveram limitados a 25%, 50% ou 70% do salário-desemprego nessas negociações. Com o projeto, o valor pode chegar a 100%, sendo proporcional à redução (se houver redução de 85% do salário, por exemplo, o benefício seria de 85% do seguro).

Redução Tributária e Refis

Um dos destaques do projeto é a alíquota zero do PIS/Pasep, da COFINS e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) por 60 meses e a extensão, até 31 de dezembro de 2021, do Programa Emergencial de Acesso a Crédito (PEAC) para as empresas do setor.

O texto também prevê modelos de renegociação das dívidas com o governo federal. A regra geral será de desconto de até 70% sobre o valor total da dívida e até 145 meses para pagar, exceto os débitos previdenciários, para os quais a Constituição limita o parcelamento em 60 meses. A adesão a essa transação proposta pelo poder público poderá ocorrer em até quatro meses após regulamentação, mas o contribuinte poderá propor uma transação com requerimento individual ou mesmo por meio de associações do setor.

Poderão ser parcelados os débitos com a Receita Federal e a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN), além do FGTS. Ao participar, o contribuinte deverá desistir de ações administrativas e na Justiça, renunciando a seus argumentos jurídicos e confessando a dívida incluída no parcelamento.

Crédito

O PL também prevê a prorrogação do Programa Emergencial de Acesso a Crédito (PEAC), previsto na Lei 14.042/20, até o fim de 2021. Por meio desse programa, os bancos públicos e privados contam com garantia da União por meio do Fundo de Garantia para Investimentos (FGI) ou do Fundo Garantidor de Operações (FGO), no caso de microempresas, quando da concessão ou renovação de empréstimos.

As condições contratuais ofertadas deverão ser similares às praticadas em 2020, e os fundos deverão contar com aporte adicional do governo federal em valor equivalente a 10% do aplicado no ano passado. Até 30 de junho de 2021, os bancos não precisarão exigir vários documentos que atestam regularidade com tributos e contribuições federais.

 

segunda-feira, 1 de março de 2021

Braga é o Melhor Destino da Europa em 2021

A premiação elege anualmente os melhores destinos do continente para o turismo"

O prêmio Melhor Destino da Europa realizado pela European Best Destinations, anunciou a cidade vencedora 2021 – Braga, uma das cidades mais antigas de Portugal. O concurso com 20 finalistas de peso contou com mais de 600 mil votos de 192 países, dos quais Braga respondeu com quase 110 mil votos. 

Braga, a cerca de 30 minutos ao norte do Porto, é uma cidade com rica história, ainda hoje conhecida como a cidade dos Arcebispos ou a Roma portuguesa, pela fé do seu povo, pelo número de manifestações religiosas com muitas igrejas e santuários espalhados por toda a cidade. É interligada pelo Alfa Pendular, a linha de trens rápidos, e está a apenas 25 quilômetros de Guimarães, berço do país. 

Fundada pelos romanos no século 1 a.C., a antiga Bracara Augusta é parte de todo roteiro que se preze pelo norte de Portugal. Fica em Braga a catedral mais antiga de Portugal, a Catedral da Sé de Braga, construída no século XI (1070) antes dos portugueses serem uma nação. Mais o principal símbolo da fé local é o emblemático Santuário do Bom Jesus do Monte com sua bela escadaria e construído no século XVII, e o imponente Mosteiro de Tibães.

“Incrivelmente romântica (…), Braga é uma das cidades mais felizes da Europa e uma das com melhor qualidade de vida do mundo”, diz a organização do prêmio – confira os detalhes neste link aqui. 

Sobre a European Best Destinations

European Best Destinations é um site de viagens desenvolvido para promover a cultura e o turismo na Europa. Em parceria com os escritórios de turismo participantes e a Rede EDEN - European Destinations of Excellence,  a maior rede europeia de destinos premiados pela Comissão Europeia pela qualidade das suas ofertas turísticas e pelo respeito pelo ambiente. www.europeanbestdestinations.com 

fotos: site European Best Destinations