sábado, 20 de agosto de 2016

Turistas aprovam a Olimpíada e querem voltar ao Brasil

Ministério do Turismo apresentou resultado da pesquisa de demanda avaliando a experiência dos visitantes durante os Jogos Rio 2016
Turistas domésticos e internacionais ouvidos pelo Ministério do Turismo durante os Jogos Olímpicos Rio 2016 elogiaram as opções de turismo e lazer, a diversão noturna e a hospitalidade do brasileiro. O estudo revela o perfil, gasto e tempo médio dos visitantes, além do índice de satisfação com itens como segurança, transporte público, infraestrutura e preços. De acordo com o levantamento, 87,7% dos turistas estrangeiros têm a intenção de voltar ao Brasil e 94,2% dos brasileiros querem voltar ao Rio de Janeiro. A pesquisa parcial foi divulgada na última quinta-feira (18) no Rio de Janeiro.
Para 98,7% dos turistas domésticos, a viagem ao Rio de Janeiro atendeu plenamente ou superou as expectativas. O índice de satisfação do público internacional é de 83,1%. A hospitalidade do carioca foi elogiada por 92% dos brasileiros e 98,6% dos estrangeiros. A diversão noturna também agradou. Para 93,6% dos viajantes nacionais e 96,2% dos internacionais o Rio de Janeiro é muito bom ou bom neste quesito.
A isenção de visto em caráter excepcional para a Olimpíada e Paralimpíada foi usada por 74,7% dos turistas internacionais dos países beneficiados (EUA, Canadá, Japão e Austrália) e 82,2% deles afirmaram que a medida facilitaria um retorno ao Brasil.
A pesquisa do público doméstico, desenvolvida pela GMR Inteligência & Pesquisa, ouviu 4.150 pessoas de 03 a 16 de agosto nas arenas esportivas e Bouvelard Olímpico. O levantamento com os turistas internacionais, feita pela Fundação Instituto de Pesquisa Econômica (FIPE), ouviu 1.262 estrangeiros nos aeroportos entre os dias 6 e 16 de agosto.
Perfil do turista
A pesquisa revelou que o turista da olimpíada é um viajante qualificado, com renda média de US$ 3.581,00 no público internacional e acima de R$ 3,5 mil para 70% dos brasileiros. O brasileiro ficou em média 10,3 dias e teve um gasto diário de R$ 337,9. Já o estrangeiro permaneceu 11,7 dias e gastou US$ 103,7 por dia.  O país que mais enviou turistas para o Brasil foram Estados Unidos (21,2%), seguidos da Argentina (14,8%) e da Inglaterra (4,8%). A maioria do público interno veio do Sudeste (51,1%), seguido do Nordeste com 18,5% e da região Sul, com 15,7%.
Os brasileiros que viajaram para o Rio de Janeiro na Olimpíada têm idade média de 37 anos, 51,3% são solteiros e 62,7% são homens. O trabalho também mostrou que os Jogos Olímpicos Rio 2016 permitiram que o brasileiro vivenciasse pela primeira vez a maior competição esportiva do mundo. Dos entrevistados, 96,3% nunca tinham participado de uma Olimpíada. Do público estrangeiro, 83,5% têm mais de 25 anos, 64,4% são homens e 56,5% estão no Brasil pela primeira vez.
A internet foi a principal fonte de informação para a organização da viagem dos dois públicos pesquisados – doméstico (70%) e internacional (63,4%). Para o público doméstico a casa de parentes e amigos foi o principal (48,6%) meio de hospedagem, seguida dos imóveis alugados com 21,2%. No caso do público internacional, 37,2% ficaram em hotéis ou flats e 25% em imóveis alugados. A principal atividade desenvolvida por brasileiros (74,8%) e estrangeiros (77,3%) foi a ir à praia.
Infraestrutura 
Os aeroportos foram elogiados por 94,6% dos turistas estrangeiros e 91,6% dos brasileiros. A segurança também foi bem avaliada por 88,4% dos visitantes internacionais e 87,1% dos nacionais, índices próximos aos registrados pelo transporte público, com 86,6% de aprovação do público externo, e 82,1% do interno.
Os locais de competição foram avaliados como bom ou muito bom por 89,6% dos brasileiros e 87,1% dos estrangeiros. O acesso para as arenas esportivas também foi aprovado por 79% dos viajantes domésticos e 80,2% dos internacionais. 
O item que recebeu a avaliação mais critica foram os preços praticados nas áreas das provas olímpicas, com 50,8% de avaliação negativa por parte dos brasileiros e 42,4% por parte do público de fora.

RESULTADOS PARCIAIS
As informações apresentadas na ultima quinta-feira (18) foram extraídas da base de dados da pesquisa de demanda internacional e doméstica realizada pelo Ministério do Turismo para avaliar a experiência dos visitantes durante os Jogos Rio 2016. As entrevistas serão realizadas até os Jogos Paralímpicos. O resultado final será divulgado até o final deste ano.
O conteúdo completo pode ser acessado em:
http://www.turismo.gov.br/images/casabrasil/17_08_16_Apresentacao_Pesquisa_MTur_final.pptx 
Crédito foto: Diego Campos e divulgação

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Mapa mostra países que mais ganham e gastam com turismo no mundo

Site de informação de custos HowMuch divulgou mapa em que mostra o tamanho dos países de acordo com o gasto anual em turismo de visitantes estrangeiros dentro deles.
O Brasil, apesar de todo seu potencial turístico com natureza exuberante, diversidade étnica e povo acolhedor fica muito aquém do desejado.
Os dados do Banco Mundial de 2014 mostram o Brasil acumulando US$7,4 bilhões em gastos do turismo externo, pouco acima dos US$ 6,1 bilhões registrados em 2008.
Muito pouco considerando que países como como Indonésia faturaram (US$ 10,3 bilhões) e Catar (US$ 10,6 bilhões) e bem distante de países como México (US$ 16,6 bilhões) e Rússia (US$ 19,5 bi).
O top 5 dos que mais recebem dinheiro dos turistas estrangeiros é Estados Unidos (US$ 220,1 bilhões), França (US$ 66,8 bi), Espanha (US$ 65,1 bi), Reino Unido (US$ 62,8 bi) e China (US$ 56,9 bi).
O mapa que mostra o gasto total dos turistas que mais gastam quando viajam para fora reforça os resultados do mapa anterior.
Segundo o site “Não é surpresa que os países mais ricos desfrutam de gastos mais altos para dentro e para fora. Isso acontece simplesmente porque os cidadãos desses países tem mais dinheiro para gastar em viagens e também porque costumam investir mais em atrações turísticas".
Os dados mostram que os cinco países que mais gastam com turismo quando viajam são a China (US$ 164,9 bilhões), Estados Unidos (US$ 145,7 bilhões), Alemanha (US$ 106,6 bilhões), Reino Unido (US$ 79,9 bilhões) e França (US$ 59,4 bilhões).
O turista brasileiro aparece entre os 20 que mais gastam no exterior, uma exceção junto com a Arábia Saudita, integrado por um grupo dominando por países asiáticos e europeus e da América do Norte.
Vale ressaltar que o resultado, no caso dos turistas europeus, que aparecem com destaque nos dois mapas deve-se ao fato de que muitos integram o “Acordo de Schengen”, uma convenção entre países europeus com uma política de abertura das fronteiras e livre circulação de pessoas entre os países.
A realidade no país
Resta esperar para ver como esses números vão evoluir diante da desvalorização forte do real e queda da renda dos brasileiros.
No primeiro trimestre de 2016, os gastos dos brasileiros no exterior somaram US$ 2,9 bilhões, contra US$ 5,2 bi no mesmo período de 2015
Fonte: com dados da Revista Exame/ 
            http://howmuch.net/ 

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Aeroporto Santos Dumont no Rio de Janeiro

As novidades, serviços e como chegar e sair do aeroporto
O aeroporto Santos Dumont, localizado no centro da cidade, é uma das principais portas de entrada da cidade do Rio de Janeiro. Tanto a chegada como a partida no aeroporto mostra um belo visual da cidade maravilhosa. Eu particularmente sempre fico encantada a beleza cinematográfica do Rio.
Recentemente o aeroporto recebeu investimentos importantes em infraestrutura e ganhou opções de acesso, como o VLT – Veículo Leve sobre Trilhos e um shopping, o Bossa Nova Mall, com novas lojas e restaurantes.
Leonardo Cassol, editor do excelente site de turismo Melhores Destinos, mostrou um completo e indispensável post com dicas para utilizar todas as opções de modais para chegar e sair do aeroporto Santos Dumont, como VLT, Uber, ônibus executivo, táxi comum e especial, com as respectivas estimativas de custo e tempo de viagem. Apresentou ainda os principais serviços disponíveis no aeroporto, como bancos, caixas eletrônicos, lojas e opções de alimentação.

Vale a pena  partilhar!  Vamos as dicas de Léo:

VLT - Veículo Leve sobre Trilhos
O VLT ou Veículo Leve sobre Trilhos entrou em operação em junho de 2016, em fase de testes, passando a operar normalmente em agosto, ligando o Aeroporto Santos Dumont (estação terminal) ao centro do Rio de Janeiro.
A estação fica a 1-2 minutos de caminhada do saguão de desembarque (saia, vire à esquerda e siga a sinalização).
O horário de funcionamento é de 6h à 0h, diariamente. O intervalo entre os trens é de 15 minutos nos dias úteis e 20 minutos nos fins de semana e feriados.
Todas as estações são novas e bem sinalizadas. A conexão com o metrô carioca ocorre na estação Cinelândia. São apenas 2 estações entre elas e o trajeto entre o aeroporto e o metrô dura apenas 7 minutos.
A viagem custa R$ 3,80. Para utilizar é preciso ter o cartão bilhete único carioca, que pode ser adquirido na estação do VLT já carregado com a primeira viagem, e/ou abastecido nos totens de autoatendimento, que aceitam cédulas de reais ou cartões de débito (no dia primeiro de agosto não estava disponível a opção de pagamento com cartão)
A estação Cinelândia do VLT fica ao lado da estação de mesmo nome do metrô Rio. Além das escadas, há um elevador no centro da praça que dá acesso ao metro.
O VLT pode ser uma boa opção para quem estiver sozinho ou para casais sem muita bagagem com destino ao Centro, Tijuca e Zona Sul da cidade, pois oferece fácil conexão com o metrô. O bilhete do metrô é cobrado a parte (custa R$ 4,10) e pode ser pago com o mesmo cartão do bilhete único. Grupos com 3 ou mais pessoas ou casais com muita bagagem já fica mais em conta utilizar a Uber ou outro meio de transporte.
Mais informações no site oficial do VLT Rio

Metrô
O metrô Rio liga a Zona Sul ao Centro e à Tijuca (Linha 1 – laranja), bem como à Zona Norte e Pavuna (Linha 2 – verde). O metrô custa R$ 4,10 por viagem e é um meio eficiente e seguro de se locomover pela cidade, pois você evita os engarrafamentos.
Do centro (Cinelândia), até a Zona Sul (Copacabana) são cerca de 15 minutos. O metrô fica bem cheio entre 17h e 19h. Bem cheio mesmo. Se estiver com bagagem é melhor evitar esse horário.
Uma nova linha para a Barra da Tijuca (Linha 4 – ligando Ipanema a Barra da Tijuca) foi inaugurada recentemente, mas sua operação no mês de agosto e até 18 de setembro de 2016 será exclusiva para quem tiver ingressos comprados para as competições esportivas ou para quem for credenciado. Portanto, não conte com o metrô se você quiser ir para a Barra sem ser no dia e horário do evento que tiver ingresso.
Uber
A Uber opera sem restrições na cidade do Rio de Janeiro e conta com uma boa disponibilidade de carros nas versões Uber Black (incluindo Uber English) e UberX (versão econômica). Recentemente inaugurou um lounge exclusivo para seus clientes, onde oferece Wi-fi, tomadas e bebidas gratuitamente, enquanto você espera pelo carro. Para ir até o ponto de embarque da Uber vire a esquerda após desembarcar e siga até o novo Shopping Bossa Nova Mall,  que fica depois da aérea de check-in.
A tarifa básica sai mais em conta do que o táxi comum, mesmo utilizando a opção Uber Black, que oferece um serviço de alto padrão. O pagamento pode ser feito com cartão de crédito direto pelo aplicativo da Uber.
Uma viagem até Copacabana custa aproximadamente entre R$ 24 – R$ 32 de Uber Black ou entre R$ 16 – R$ 21 de UberX. Para a Barra da Tijuca entre R$ 67 – R$ 89 de Uber Black e R$ 45 – R$ 61 de UberX. Você pode simular o custo aproximado no site da Uber. Confira também um review completo sobre o serviço da Uber.

Táxi Comum
O táxi comum é uma opção tradicional aos passageiros que desembarcam no Rio de Janeiro. Para utilizar o serviço vire à direita após desembarcar e vá até o final, onde tem uma agência do Itaú e um restaurante Subway. Fique atento pois no meio do saguão tem uma fila do táxi especial, que é bem mais caro que o comum.
Há um quadro com as tarifas médias fixado na área de embarque dos táxis (foto). Verifique o preço estimado para o bairro de destino e guarde o papel com o número do táxi que te atendeu até o fim da corrida. Pode ser útil caso tenha esquecido alguma coisa ou para uma reclamação, caso o valor do taxímetro seja muito diferente da estimativa.
Uma corrida de táxi comum para Copacabana custa entre R$ 26 e R$ 33 em bandeira 1 e entre R$ 32 e 39 reais em bandeira 2. Para a Barra da Tijuca, entre R$ 70 e R$ 96 em bandeira 1 e entre R$ 84 e R$ 115 em bandeira 2. Confira os demais preços estimados no quadro de tarifas.
Se desejar pagar o táxi com cartão de crédito é melhor utilizar os aplicativos, como o Easy Táxi e o 99, que são os mais utilizados na cidade. A maioria dos táxis que atendem o aeroporto não disponibilizam essa opção.
Dica do Léo: nunca aceite a abordagem de estranhos. É muito arriscado. Vá para a fila.

Ônibus Executivo
Os cariocas chamam o ônibus executivo de “frescão”. O aeroporto possui linhas regulares de ônibus executivo que o ligam ao Aeroporto Internacional do Galeão (R$ 14 – a cada 30 minutos), à Barra da Tijuca – Terminal Alvorada (R$ 16 – a cada 30 minutos) e à Zona Sul (é o mesmo ônibus que vai para a Barra – R$ 16 – a cada 30 minutos). Os ônibus têm ar condicionado, bagageiro para as malas, como num ônibus de viagem. Os ônibus são azuis, operados pela viação Real. Mais informações no site da viação Real.
O ônibus executivo pode ser uma escolha mais econômica para quem está sozinho ou em casal e vai para a Barra da Tijuca. O trajeto leva em torno de 1 hora a 1 hora e 30 minutos, dependendo do trânsito. O ônibus faz paradas ao longo da Zona Sul. Para o Galeão são cerca de 45 minutos no horário da manhã e início da tarde e entre 1 hora e 1 hora e 20 minutos no fim da tarde e início da noite, dependendo do trânsito.

Bancos e caixas eletrônicos
O aeroporto conta com duas agências bancárias, do Bradesco e do Itaú, além de caixas eletrônicos do Santander, Caixa, Bradesco e Banco do Brasil (no desembarque) e do HSBC, Bradesco e Santander (no embarque – 2o andar). Há ainda três caixas eletrônicos voltados para estrangeiros que estão no Brasil.

Outros serviços
Há um quiosque de informações para turistas no meio do saguão do desembarque. Pode ser útil para quem precisar informações sobre a localização do hotel ou de algum ponto turístico.
Há ainda agências das principais locadoras no setor de desembarque. Mas em períodos de alta demanda, como feriados e períodos de férias escolares e grandes eventos é mais seguro reservar o carro antes de embarcar, com risco de não ter nenhum veículo disponível.

Shopping e restaurantes
O aeroporto dispõe de muitas lanchonetes e cafés, incluindo franquias do Subway e do Bobs, que ficam no desembarque.
Próximo ao setor de check-in tem o novo Shopping Nossa Nova Mall, com mais opções de lojas e alimentação.
Se estiver com fome e quiser comer bem, nossa dica é o novo restaurante VAMO, que oferece um bom serviço à la carte. O restaurante é bastante amplo e tem espaço para guardar as malas.
fonte: Dados e fotos Site Melhores Destinos editor Leonardo Cassol
www.melhoresdestinos.com.br/  

domingo, 24 de julho de 2016

Está mais fácil e acessível fazer upgrade na TAP

A TAP lançou recentemente o serviço “TAP Upgrades”, que permite ao seu passageiro um atendimento personalizado, com muito mais conforto e a preços competitivos.  
Os upgrades podem ser feitos no balcão de vendas da empresa aérea em todos aeroportos; no momento do embarque e até mesmo a bordo.  Existindo lugares disponíveis, basta solicitar a tripulação. A compra é efetuada no local, através de cartão de crédito.
A novidade é a transação por licitação: até 36 horas antes da saída do voo a licitação é feita online, caso seja aceito, o cliente passa automaticamente para a classe executiva depois de efetuado o pagamento através do site da TAP.
Os voos com lugares disponíveis em executiva e com o check-in ainda em curso vão estar disponíveis nos novos monitores instalados para esse efeito.
Segundo a TAP o preço a pagar pelo upgrade é fixo e muito atrativo, variando apenas de acordo com a duração do voo. O pagamento é efetuado no momento da transação, através de cartão e na moeda local, ou através da utilização de milhas.

Para quem embarca em Lisboa a empresa conta com a loja TAP Upgrades, localizada na área das partidas do Aeroporto Humberto Delgado junto ao balcão de Serviço ao Cliente.
fotos divulgação

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Novo mapa turístico do Rio Grande do Sul

A nova versão divulgada pelo Ministério do Turismo está mais enxuta. Documento norteia a definição de políticas públicas para o setor
Os 294 municípios do Rio Grande do Sul presentes no Mapa do Turismo se dividem em 5 categorias, de acordo com a Categorização dos municípios das Regiões Turísticas do Mapa do Turismo Brasileiro. O instrumento, elaborado pelo MTur, identifica o desempenho da economia do turismo para tornar mais fácil a identificação e apoio a cada um.
Dentro da metodologia, as cidades contempladas nas categorias A, B e C contam com 95% dos empregos formais em meios de hospedagem 87% dos estabelecimentos formais de meios de hospedagem, 93% do fluxo doméstico e têm fluxo internacional. O conjunto de municípios dos grupos D e E, reúnem características de apoio às cidades geradoras de fluxo turístico. Muitas vezes são aquelas que fornecem mão-de-obra ou insumos necessários para atendimento aos turistas.
Confira como ficou o mapa do turismo do Rio Grande do Sul, por categoria:
CATEGORIA
2013
2016
DIFERENÇA
A
3
3
      0
B
13
12
      -1
C
39
36
      -3
D
227
162
     -65
E
185
81
    -104
TOTAL
467
294
    -173
A lista das regiões e municípios que compõem o mapa do estado

REGIÃO TURÍSTICA
MUNICÍPIOS
1.Alto da Serra do Botucaraí
Barros Cassal; Gramado Xavier; Ibirapuitã; Mormaço; Nicolau Vergueiro; São José do Herval; Soledade.
2. Campos de Cima da Serra
Bom Jesus; Cambará do Sul; Campestre da Serra; Esmeralda; Ipê; Jaquirana;Muitos Capões;Pinhal da Serra; São José dos Ausentes; Vacaria;
3. Carbonífera
Arroio dos Ratos; Charqueadas; São Jerônimo; Triunfo.
4. Central
Agudo; Dona Francisca; Faxinal do Soturno;
Itaara; Nova Palma; Restinga Seca; Santa Maria;
São João do Polêsine; São Pedro do Sul; São Sepé;
Silveira Martins.
5. Centro-Serra
Estrela Velha; Ibarama; Sobradinho.
6. Costa Doce
Arambaré; Arroio Grande; Camaquã; Canguçu; Chuí;
Cristal; Guaíba; Jaguarão; Morro Redondo; Pedro Osório;Pelotas; Rio Grande; Santa Vitória do Palmar; São José doNorte; São Lourenço do Sul; Sertão Santana; Tapes;Tavares; Turuçu.
7. Cultura e Tradição
Constantina; Passo Fundo; Ronda Alta; Rondinha;
Sarandi; Sertão.
8. Delta do Jacuí
Glorinha; Gravataí; Viamão.
9. Fronteira
Alegrete; Barra do Quaraí; Itaqui; Manoel Viana; Quaraí; Rosário do Sul; Sant'Ana do Livramento; São
Gabriel; Uruguaiana
10. Hortênsias
Canela; Gramado; Nova Petrópolis; Picada Café; São Francisco de Paula.
11. Litoral Norte Gaúcho
Arroio do Sal; Balneário Pinhal; Capão da Canoa, Caraá; Cidreira; Imbé; Itati; Mampituba; Maquiné; Morrinhos do Sul; Mostardas; Osório; Palmares do Sul; Santo Antônio da Patrula; Terra de Areia; Torres; Tramandaí; Xangri-lá;
12. Pampa Gaúcho
Aceguá; Bagé; Caçapava do Sul; Candiota; Dom Pedrito; Lavras do Sul; Pinheiro Machado; Piratini; Santana da Boa Vista.
13. Porto Alegre
Porto Alegre
14. Rota Águas e Pedras
Alpestre; Ametista do Sul; Caiçara; Frederico Westphalen; Iraí; Nonoai; Pinheirinho do Vale; Vicente Dutra. 
15. Rota das Araucárias
Água Santa; Barracão; Ibiaçá; Lagoa Vermelha; Machadinho; Maximiliano de Almeida; Paim Filho;
Sananduva; Santo Expedito do Sul; São João da Urtiga.
16. Rota das Terras Encantadas
Boa Vista do Incra; Colorado; Fortaleza dos Valos; Ibirubá; Jacuizinho; Não-Me-Toque; Quinze de Novembro; Saldanha Marinho; Salto do Jacuí; Selbach; Tapera; Tio Hugo; Victor Graef.
17. Rota do Rio Uruguai
Alecrim; Boa Vista do Buricá; Cândido Godói; Doutor Maurício Cardoso; Horizontina; Porto Mauá; Porto Vera Cruz; Santa Rosa; Santo Cristo; São José do Inhacorá; Senador Salgado Filho; Tuparendi.
18. Rota do Yucumã
Ajuricaba; Augusto Pestana; Bom Progresso; Bozano; Braga; Catuípe; Chiapetta; Coronel Bicaco; Crissiumal; Derrubadas; Esperança do Sul; Humaitá; Ijuí; Nova Ramada; Panambi; Redentora; Santo Augusto; São Martinho; Sede Nova; Tenente Portela; Tiradentes do Sul; Três Passos; Vista Gaúcha.
19. Rota Missões
Caibaté; Entre-Ijuís; Giruá; Guarani das Missões; Mato Queimado; Santo Ângelo; São Borja; São Luiz Gonzaga; São Miguel das Missões; São Nicolau; São Pedro do Butiá     
20. Termas e Lagos
Aratiba; Áurea; Entre Rios do Sul; Erechim; Getúlio Vargas; Marcelino Ramos; Mariano Moro; Paulo Bento; Quatro Irmãos; Severiano de Almeida; Três Arroios; Viadutos.
21. Uva e Vinho
Antônio Prado; Bento Gonçalves; Carlos Barbosa; Casca; Caxias do Sul; Coronel Pilar; Cotiporã; Farroupilha; Flores da Cunha; Garibaldi; Guaporé; Marau; Monte Belo do Sul; Nova Araçá; Nova Bassano; Nova Pádua;Nova Prata; Nova Roma do Sul; Protásio Alves; Santa Tereza; Santo Antônio do Palma; São Marcos; Serafina Corrêa; Veranópolis; Vila Flores; Vila Maria; Vista Alegre do Prata.
22. Vale do Caí
Alto Feliz; Barão; Bom Princípio; Brochier; Capela de Santana; Feliz; Harmonia; Linha Nova; Maratá; Montenegro; Pareci Novo; Portão; Salvador do Sul; São José do Sul; São Pedro da Serra; São Sebastião do Caí; São Vendelino; Vale Real.        
23. Vale do Jaguarí
Cacequi; Mata; Nova Esperança do Sul; Santiago; São Vicente do Sul.
24. Vale do Paranhana
Igrejinha; Parobé; Riozinho; Rolante; Taquara; Três Coroas.
25. Vale do Rio dos Sinos
Araricá; Campo Bom; Dois Irmãos; Estância Velha; Ivoti; Lindolfo Collor; Morro Reuter; Nova Hartz; Novo Hamburgo; Presidente Lucena; São Leopoldo; Sapiranga.
26. Vale do Rio Pardo
Candelária; Encruzilhada do Sul; General Câmara; Herveiras; Mato Leitão; Rio Pardo; Santa Cruz do Sul; Sinimbu; Vale do Sol; Vale Verde; Venâncio Aires; Vera Cruz.
27. Vale do Taquari
Anta Gorda; Arroio do Meio; Arvorezinha; Boqueirão do Leão; Colinas; Dois Lajeados; Doutor Ricardo; Encantado; Estrela; Ilópolis; Itapuca; Lajeado; Muçum;      Nova Bréscia; Progresso; Relvado; Sério; Teutônia; Vespasiano Correa; Westfalia.

BOA PRÁTICA – O Tribunal de Contas da União e o Senado Federal reconhecem o Mapa do Turismo Brasileiro como um instrumento de gestão para orientar a gestão no desenvolvimento de políticas públicas regionalizadas e descentralizadas. A atualização constante do documento se torna, portanto, fundamental para que esse instrumento seja eficaz e respeite os princípios de eficiência da Administração Pública.
foto: Diego Campos
dados; MTur

sábado, 2 de julho de 2016

Azul inaugurou rota regular entre Porto Alegre e Montevidéu

Linhas Aéreas Azul inaugurou rota regular entre Porto Alegre e Montevidéu (Uruguai) ontem, 1º de julho. Para marcar o início da nova rota regular entre as duas capitais, a empresa recebeu autoridades e imprensa na sala VIP do terminal 2 do Aeroporto Salgado Filho, com a presença do diretor de Planejamento e Alianças da Azul, Marcelo Bento, do assessor da Presidência da Azul, Ronaldo Veras, Luiz Fernando Moraes, Secretário de Turismo de Porto Alegre e o deputado Frederico Antunes.
A programação contou com descerramento de fita e o batismo da aeronave antes da decolagem, rumo à capital uruguaia. Com a nova rota, a Azul busca atender a demanda de viagens de lazer e turismo e também de negócios. A rota tem quatro voos semanais – segundas, quartas, sextas e domingos. Os voos de Porto Alegre para a capital uruguaia têm saída às 12h01min e previsão de chegada às 14h10min. A volta tem partida às 14h40min de Montevidéu com chegada prevista para as 16h43min. A aeronave será o turboélice ATR 72-600, com capacidade para 70 passageiros. 
Em Porto Alegre, a Azul oferta voos para São Paulo (Campinas, Guarulhos e Congonhas), Belo Horizonte (Confins), Curitiba, Florianópolis, Navegantes, Pelotas e Santa Maria. Além da capital mineira e São Paulo (Campinas), os dois maiores hubs da companhia, a oferta da Azul em São Paulo (Guarulhos e Congonhas) e Rio de Janeiro (Santos Dumont) garantem ampla conectividade de todo o país à capital uruguaia.  
No Uruguai, Punta del Este encontra-se a 170 quilômetros e a histórica e encantadora cidade de Colonia del Sacramentoa apenas 130 quilômetros de Montevidéu.
A Azul iniciou a comercialização de passagens em maio, após a autorização da rota pelas autoridades brasileiras e uruguaias. Nos primeiros voos, a empresa opera com tarifa promocional a partir de R$ 592,00, ida e volta. 
Com a nova rota, a Azul busca atender a demanda de viagens de lazer e turismo e também de negócios.

O destino Montevidéo
A cidade de Montevidéu capital do Uruguai possui os encantos da modernidade e progresso, assim como também a boêmia e a história que podem se respirar ao longo das suas ruas. Apresenta numerosas alternativas de passeios, lugares de entretenimento e espetáculos para todos os gostos e expectativas.
Dentro da cidade de Montevidéu, pode se visitar o bairro Parque Rodó, que possui vinte e cinco hectares de jardins, que aportam colorido e oxigênio a cidade. Não muito longe daí, encontra-se o Parque Batlle e o Estádio de Futebol Centenário, lugar onde organizou-se o Primeiro Mundial de Futebol da história em 1930. 
Um dos passeios mais bonitos, tanto no dia quanto na noite, é a “Ciudad Vieja”. Alí conserva-se a Porta da Cidadela, que até 1829 funcionava para proteger o lugar de possíveis invasões. Dentro dessa zona histórica encontram-se as construções coloniais mais belas e pitorescas:o Cabildo, a catedral metropolitana,  o teatro Solís, o Mercado del Puerto, a Plaza Independencia  e o Museu Torres Garcia, entre tantas outras atrações.
Carrasco e Pocitos, nos arredores, merecem uma visita.  É onde residem as classes mais abastadas de Montevidéu. Pocitos, além do charme, conta com uma extensa praia com prédios construídos durante o notável auge da construção dos anos 70 e 80.
A gastronomia e cultura locais são pontos fundamentais da viagem.

terça-feira, 28 de junho de 2016

Tocha Olímpica chega ao Rio Grande do Sul no próximo sábado

A Tocha Olímpica chega ao Rio Grande do Sul neste domingo (3/7) e permanece até o dia 9 (sábado). O símbolo máximo dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos passará por 28 municípios gaúchos.
O início do percurso no Brasil, começou em 3 de maio, partindo de Brasília, totalizando mais de 20 mil quilômetros (além de 10 mil milhas aéreas) e 12 mil condutores.  Serão 95 dias e 329 cidades, incluindo todas as capitais.
O trajeto no Rio Grande do Sul começa em Erechim, no norte do Estado, e termina em Torres, com seus paredões rochosos à beira-mar.
As cidades de Santa Maria, Pelotas, Caxias do Sul, Porto Alegre e Passo Fundo são as "Cidades de Celebração”, onde a chama irá pernoitar. Eventos especiais estão programados para essas cidades
Além dos eventos de revezamento, está prevista uma operação especial, em São Miguel das Missões, na segunda, dia 4 de julho. No sítio arqueológico de São Miguel Arcanjo, o dia é dedicado a um evento específico chamado pela organização de “Photo Opportunity”, onde ocorre uma celebração de integração entre o patrimônio histórico da humanidade com o símbolo olímpico, com início previsto para às 8h30 minutos e término ao meio dia. A cerimônia de acendimento e revezamento da Tocha Olímpica será por volta das 10h40min, permanecendo por quinze minutos no palco. 
As datas da Tocha Olímpica no Rio Grande do Sul
3 de julho (domingo) - Erechim, Passo Fundo
4 de julho (segunda-feira) - São Miguel das Missões, Santo Ângelo, Ijuí, Cruz Alta
5 de julho (terça-feira) - Encantado, Lajeado, Santa Cruz do Sul, Santa Maria
6 de julho (quarta-feira) -São Sepé, Caçapava do Sul, Canguçu, Rio Grande/Cassino, Pelotas
7 de julho (quinta-feira) - São Lourenço do Sul, Camaquã, Guaíba, Porto Alegre
8 de julho (sexta-feira) - Canoas, Esteio, Novo Hamburgo, Gramado, Canela, Nova Petrópolis, Caxias do Sul
9 de julho (sábado) - Bento Gonçalves, Torres.
O trajeto nas cidades gaúchas
Erechim será a primeira cidade do Rio Grande do Sul a receber a Chama Olímpica, que percorrerá mais de 4 km pelas suas ruas. Depois segue para Passo Fundo,  onde vai pernoitar. De Passo Fundo, o símbolo olímpico passará por municípios com marcas das missões jesuíticas: São Miguel das Missões, com seu patrimônio da humanidade; Santo Ângelo, que integrava os Sete Povos das Missões fundado por jesuítas espanhóis, e segue para Ijuí e Cruz Alta, terra de Érico Veríssimo.
Depois de passar por Encantado, Lajeado e Santa Cruz do Sul, na região dos Vales, a tocha segue para Santa Maria, cidade da região central, com seu turismo fortemente relacionado às atrações históricas e culturais.  
Antes de chegar a Pelotas, no sul gaúcho, a tocha faz o trajeto de São Sepé, Caçapava do Sul, Canguçu e Rio Grande. No dia 6 de julho, pernoita em Pelotas, cidade conhecida pelos seus doces, casarios históricos  e por belezas naturais,  Mais três municípios serão percorridos antes de chegar a Porto Alegre: São Lourenço do Sul, Camaquã, e Guaíba. Na capital, o símbolo olímpico passará pelo Parque Moinhos de Vento,  Usina do Gasômetro, Parque da Redenção, Casa de Cultura Mario Quintana e a Fundação Iberê Camargo.
O trajeto final passa por Canoas, Esteio, Novo Hamburgo seguindo para a Serra Gaúcha: Canela, Gramado e Nova Petrópolis. Depois vai para Caxias do Sul e Bento Gonçalves, municípios com forte colonização italiana no Brasil e produção de vinhos.   O trajeto termina em Torres, no litoral norte.
fotos divulgação

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Entidades do Conselho defendem manutenção do Mtur

Entidades enviam ofício ao presidente em exercício, Michel Temer, solicitando atenção para o caso envolvendo o Ministério do Turismo após a saída de Henrique Alves.
Com a saída de Alves surgiram também rumores sobre a extinção da pasta ou mesmo sua junção outra, como o esporte, por exemplo.
Confira abaixo a carta na íntegra:

Ao
Excelentíssimo Senhor Presidente da República em Exercício Michel Miguel Elias Temer Lulia Palácio do Planalto Brasília - DF

Senhor Presidente,

Quando o senhor resolveu manter o Ministério do Turismo e convidar um dos expoentes do PMDB para comandar a pasta, o senhor sinalizou ao mercado que compreende a importância que a atividade sempre possuiu e agora ampliada pelo momento histórico do Brasil.
O turismo é o setor que será protagonista na reconstrução da imagem do Brasil para o mundo. É a vitrine que consolida o trabalho que está sendo realizado agora no Ministério das Relações Exteriores comandado pelo ministro José Serra e pela nova EMBRATUR que será reestruturada. É também o turismo a atividade econômica capaz de gerar mais rapidamente divisas e ajudar o país na travessia da sua mais grave crise econômica. Ele foi a solução para a Espanha e Portugal na crise que estes países atravessaram.
A cadeia produtiva atendeu o chama- mento da nação e realizou uma grande transformação na infraestrutura turística para atender a Copa do Mundo de 2014 e, agora, as Olimpíadas Rio 2016. Possuímos uma estrutura pronta para receber visitantes de todo o planeta. São milhares de novos empregos que dependem do aumento do fluxo de visitantes.  
Fusionar o turismo com outra pasta, como a mídia tem colocado, será um retrocesso. A atividade, a exemplo do que aconteceu com a Cultura, perderá o seu protagonismo.
Um dos maiores acertos do seu governo, que manteve a pasta do turismo compreendendo a equação única que a história nos reservou, será transformado em um retrocesso incompreensível pela importância que o setor tem como solução para a nossa crise.
Como integrantes do Conselho Nacional de Turismo em conjunto com entidades coirmãs, reiteramos o nosso apoio a sua decisão inicial e ressaltamos a importância da manutenção da pasta. Solicitamos que ela seja ocupada por um especialista, um gestor público que já conheça o setor. Estamos a menos de 50 dias de um encontro planetário no Brasil e um ministro neófito não terá tempo para aprender as especificidades da atividade. Podemos mostrar ao mundo que não compreendemos que o grande legado para o Brasil se dará através da atividade turística, gerando divisas, renda e empregos.
Extinguir o Ministério do Turismo e fusioná-lo com outra pasta será um paradoxo difícil de compreender. No momento que chamamos o mundo para nos visitar, encerramos exata mente o ministério que teria a função de anfitrião dos Jogos Olímpicos. 
Entidades do Conselho Nacional:
CNTur - Confederação Nacional de Turismo
CONTRATUH -  Confederação Nacional dos Trabalhadores em Turismo e Hospitalidade
ABAV Nacional - Associação Brasileira de Agentes de Viagens
ABETA -  Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura
ABRASEL -  Associação Brasileira de Bares e Restaurantes
ABRAJET -  Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo
ABBTUR -  Associação Brasileira de Turismólogos e Profissionais de Turismo
ABRARJ -  Associação Brasileira de Revistas e Jornais
BRAZTOA Associação Brasileira de Operadores Turísticos
CLIA Abremar Brasil
FBHA  - Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação
FENAGTUR -  Federação Nacional dos Guias de Turismo
CBC&VB  - Confederação Brasileira dos Conventions & Visitours Bureaux  
GUILHERME PAULUS  - Conselheiro Indicado pela Presidência da República